sábado, 18 de agosto de 2012

Meu Novo Livro

O que faz uma pessoa andar mais de 1.000 quilômetros, dias e dias ininterruptos, com uma mochila nas costas, subindo e descendo montanhas, levando o seu corpo a limites extremos e a dor física?

O que pode fazer uma pessoa se isolar do mundo, das pessoas amadas, dormindo em albergues sem o menor conforto, se alimentando mal, lavando a roupa que usou durante o dia, tudo isso por quase 40 dias?
Sinceramente. eu acredito eixistirem várias respostas, porém uma, apenas uma se mostra convincente: a necessidade de um crescimento pessoal, mental e porque não dizer até mesmo o crescimento espiritual.
Eu dediquei esses 1.000 quilômetros à procura de uma pessoa, a pessoa que eu sempre desejei ser. Posso dizer que a encontrei, mesmo sabendo que ainda teria muito que aprender com ela.

Você pode comprar esse livro dentre outras, na Amazon e viver comigo "A FORÇA DE UM CAMINHO"

BIENAL - 2012

Uma breve retrospectiva

Foi uma grande experiência. Até então eu nunca havia participado de uma Bienal como escritor.

Eu sempre estava presente, em quase todas elas, mas na condição de um havido leitor que sempre desejou estar do outro lado desta mesa.

E hoje, pela primeira vez, era eu quem recepcionava leitores, autografava livros e tirava fotos com eles. Descrever essa sensação: impossível.

Foram mais de 25 anos escrevendo sem a menor, a menor perspectiva de ter os meus sonhos realizados.

Por mais uma vez tenho que agradecer a Deus por essa "teimosia" que sempre me deu e que nunca, nunca mesmo me deixou desistir.

Tenho que confessar que agora, um novo horizonte se mostra a minha frente. Com mais vivência, posso dizer que hoje eu sei por onde recomeçar a minha vida dentro dessa nova jornada que sem dúvida nenhuma, continua se mostrando nada fácil.

O pouco apoio dos amigos, que como a grande maioria vê nesse sonho uma meta quase impossível, foi de grande valia. Agora, com novas propostas, novos caminhos, sou capaz de enxergar uma luz, uma luz que ainda tímida brilha lá na frente me dizendo sim, que eu devo continuar.

Agora, ainda vivendo o entorpecimento de todos esses fatos recentes, um verdadeiro turbilhão de pensamentos e projetos pulsam em minha mente me arremetendo para dimensões que tenho que confessar: eu nem fazia ideia que existiam.

Preciso deixar o tempo agora cumprir o seu precioso papel e me permitir assimilar direito tudo o que está acontecendo, e só assim, somente assim, definir meus próximos passos.

Uma única certeza pulsa inescrupulosamente: eu tenho que continuar escrevendo, escrevendo e escrevendo...

Eu lembro muito bem, que em determinada fase da minha vida, há décadas atrás, quando muito decepcionado com os vários "NÃOS" que frequentemente eu recebia das editoras, no ápice do meu desespero, com o peito apertado de tanta decepção, eu jurei a mim mesmo que nunca, nunca em minha vida eu deixaria de escrever, mesmo que ninguém lesse os meus livros.

Por tudo isso, eu tenho que dizer que, mais importante que estar aqui agora, vivendo esse momento, prossigo com a necessidade intrínseca de continuar escrevendo. Qual é a razão disso, nem eu mesmo sei. Só sei que preciso fazê-lo e confesso, cada vez mais e mais.

Não sei aonde posso chegar, não sei o que o futuro me reserva, só sei mesmo que eu continuarei fazendo aquilo que preciso fazer, aquilo que sou impulsionado a fazer sem questionar o por quê, pois esse sou eu, essa é a minha vida.

Eu vou continuar e, quem sabe, algum dia nos encontraremos por ai.
um forte abraço a todos,

mtrozidio